jusbrasil.com.br
9 de Dezembro de 2016
    Adicione tópicos

    TJ-SP - Apelação : APL 993050359069 SP

    S: DIREITO PROCESSUAL PENAL - GUARDA CIVIL METROPOLITANO - USURPAÇÃO DA FUNÇÃO PÚBLICA - PRISÃO EM FLAGRANTE DELITO -PRERROGATIVA DE QUALQUER PESSOA -NULIDADE - NÃO RECONHECIMENTO.

    Tribunal de Justiça de São Paulo
    há 7 anos
    Processo
    APL 993050359069 SP
    Orgão Julgador
    4ª Câmara de Direito Criminal
    Publicação
    10/02/2010
    Julgamento
    26 de Janeiro de 2010
    Relator
    Willian Campos

    Ementa

    S: DIREITO PROCESSUAL PENAL - GUARDA CIVIL METROPOLITANO - USURPAÇÃO DA FUNÇÃO PÚBLICA - PRISÃO EM FLAGRANTE DELITO -PRERROGATIVA DE QUALQUER PESSOA -NULIDADE - NÃO RECONHECIMENTO.

    O guarda civil municipal, como qualquer pessoa, pode prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito, independentemente da investidura na função pública da polícia ostensiva e administrativa, isto porque o artigo 301 do Código de Processo Penal possibilita a qualquer pessoa do povo - inclusive a vítima do crime - efetuar a prisão em flagrante delito. PROCESSO PENAL ? ARGÜIÇÃO DE NULIDADE DA AÇÃO PENAL POR AUSÊNCIA DE CREDIBILIDADE NO INQUÉRITO POLICIAL - NÃO RECONHECIMENTO. Por ser de natureza inquisitiva, o inquérito policial destina-se tão somente a apurar a autoria de infrações penais, comprovar a materialidade e formar a opinio delicti do Ministério Público. Suas informações não se projetam diretamente na sentença condenatória, uma vez que o artigo 155, caput, do Código de Processo Penal recomenda que o magistrado concentre a formação da sua livre convicção em provas produzidas em contraditório judicial. ROUBO QUALIFICADO - MATERIALIDADE E AUTORIA DELITIVA SUFICIENTEMENTE PROVADA - RECONHECIMENTO. Diante da materialidade e autoria delitiva suficientemente provada pela subtração de obisa alheia móvel, mediante grave ameaça e vio/fncia à pessoa, com emprego de arma de fogo.. HOMICÍDIO - TRIBUNAL DO JÚRI - VEREDICTO DO INTEGRALMENTE DISSOCIADO DAS PROVAS DOS AUTOS - ERROR IN JUDICANDO RECONHECIMENTO - SUBMISSÃO DOS ACUSADOS A NOVO JÚRI - CABIMENTO - É cabível a submissão dos acusados a novo Júri, quando há error in judicando, consubstanciado na decisão proferida pelo Conselho de Sentença ser integralmente dissociada das provas dos autos.

    Veja essa decisão na íntegra
    É gratuito. Basta se cadastrar.
    Disponível em: http://tj-sp.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/7209982/apelacao-apl-993050359069-sp

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)