jusbrasil.com.br
26 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de São Paulo
há 9 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
14ª Câmara de Direito Privado
Publicação
02/08/2013
Julgamento
31 de Julho de 2013
Relator
Carlos Abrão
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-SP_AI_00764616220138260000_af399.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

1

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

14ª Câmara de Direito Privado

Registro: 2013.0000435610

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0076461-62.2013.8.26.0000, da Comarca de São Paulo, em que são agravantes ANA MARIA TOZTTI MENDEZ, WILSON SOUTO JUNIOR e ATRAÇÃO FONOGRAFICA LTDA., é agravado NOVODISC MIDIA DIGITAL DA AMAZONIA LTDA..

ACORDAM, em 14ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: "Deram provimento em parte ao recurso. V. U.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores THIAGO DE SIQUEIRA (Presidente) e MELO COLOMBI.

São Paulo, 31 de julho de 2013.

Carlos Abrão

RELATOR

Assinatura Eletrônica

2

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

14ª Câmara de Direito Privado

VOTO Nº 7815

Agravo de Instrumento nº 0076461-62.2013.8.26.0000

Comarca: SÃO PAULO (43ª Vara Cível Foro Central)

Agravante (s): ANA MARIA TOZTTI MENDEZ, WILSON SOUTO JUNIOR, ATRAÇÃO FONOGRAFICA LTDA.

Agravado (s): NOVODISC MIDIA DIGITAL DA AMAZONIA LTDA.

AGRAVO DE INSTRUMENTO EXECUÇÃO CONTRA DEVEDORES SOLVENTES NÃO OPOSIÇÃO DE EMBARGOS PENHORA DE FONOGRAMA JUNTO AO ECAD E UNIÃO BRASILEIRA DE COMPOSITORES

RECURSO AMPLITUDE DA CONSTRIÇÃO SUPERIOR AO CRÉDITO NECESSIDADE DE AVALIAÇÃO CRÉDITO SUPERIOR A 1 MILHÃO DE REAIS CONTRATO ESCRITO LIMITE DA PENHORA AO VALOR EXEQUENDO RECURSO COM OBSERVAÇÃO PARCIALMENTE PROVIDO.

1- Cuida-se de agravo tirado contra r. decisão

reportada às fls.29/30 do instrumento, determinando penhora de

direitos autorais junto ao ECAD e UBC, recorrem os executados,

pleiteando efeito suspensivo, reconhecendo contrato de linha de

crédito feito com a exequente agravada, descortinam excesso de

garantia, cujos recebimentos dos fonogramas são vitalícios,

3

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

14ª Câmara de Direito Privado

analisam a obrigatoriedade da avaliação, suspensão da penhora, buscam provimento (fls. 02/27).

2- Recurso tempestivo e preparado (fls. 162/165).

3- processado desprovido de efeito suspensivo (fls. 167).

4- cumpriu-se o art. 526 do CPC, não houve contraminuta (fls. 204).

5- É O RELATÓRIO.

O recurso comporta parcial provimento, com observação.

Aparelhada a execução contra devedores solventes, segundo consta, não teriam sido opostos embargos, cujo

Agravo de Instrumento nº 0076461-62.2013.8.26.0000 - 43ª V.CÍVEL - São Paulo Voto nº 7815

4

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

14ª Câmara de Direito Privado

douto magistrado deferiu a penhora de direitos autorais junto ao Ecad e UBC (fls. 29/30).

No entanto, a constrição deve estar adstringida ao valor do crédito líquido, certo e exigível, cujos 4.694 fonogramas para tal desiderato poderão ser submetidos à avaliação em relação aos valores arrecadados pelos direitos autorais dos devedores solidários.

Efetivamente, a penhora fora deferida sobre os direitos autorais cadastrados, em relação ao ECAD e UBC respectivamente (fs. 29).

Essa abstração, não permite congruência ou simetria com a tônica da execução ajuizada.

Nela se exige, por tal ângulo, crédito impago pelos devedores solidários, reportado ao contrato datado de julho de 2006, alcançando a importância de R$ 1.761,112, 50 (fls. 49).

5

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

14ª Câmara de Direito Privado

Nenhuma noticia pode ser extraída em relação ao que efetivamente restou constritado, ainda que se reconheça que a autorização, para efeito de deferimento está datada de quase um ano atrás, 12.06.2012.

A assertiva dos recorrentes de terem pago parte da dívida, não pode ser apreciada, em grau de recurso, sob pena de supressão de grau de jurisdição, em relação à dação em pagamento, de conotação econômica, tal matéria também não fora arguida perante o juízo processante da execução.

Não há, portanto, nexo causal para se chegar a conclusão sobre a existência de garantia e a modelação dos direitos autorais, dos fonogramas e como toda essa matéria se desenvolve, daí porque, ausentes os Embargos dos Devedores, nada impede a manutenção da penhora e eventual substituição pelos interessados.

A avaliação dos fonogramas, a título de dação em

6

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

14ª Câmara de Direito Privado

pagamento, poderá ser oportunizada pelo juízo diante dos valores provenientes da penhora.

Em resumo, acolhe-se em parte o recurso, limitando-se a constrição ao valor do crédito exigido, com observação da avaliação dos cronogramas, se preciso for.

Isto posto, pelo meu voto, DOU PARCIAL PROVIMENTO ao recurso, limitando a constrição ao crédito existente, facultando ao juízo a avaliação dos cronogramas, para efeito de melhor exame da relação crédito débito, oportunamente.

CARLOS HENRIQUE ABRÃO

Relator

Disponível em: https://tj-sp.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/117597178/agravo-de-instrumento-ai-764616220138260000-sp-0076461-6220138260000/inteiro-teor-117597187