jusbrasil.com.br
27 de Junho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de São Paulo
há 10 meses

Detalhes da Jurisprudência

Órgão Julgador

1ª Turma Cível

Publicação

27/08/2021

Julgamento

27 de Agosto de 2021

Relator

Vilma Tomaz Lourenço Ferreira Zanini

Documentos anexos

Inteiro TeorTJ-SP_AI_01001079320218269030_40e09.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Colégio Recursal - Itapetininga

Itapetininga-SP

Processo nº: 0100107-93.2021.8.26.9030

Registro: 2021.0000095515

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 0100107-93.2021.8.26.9030, da Comarca de Itapetininga, em que é agravante JOSE MARIA SOARES, é agravado SÃO PAULO PREVIDÊNCIA - SPPREV.

ACORDAM , em sessão permanente e virtual da 1ª Turma Cível do Colégio Recursal - Itapetininga/SP, proferir a seguinte decisão: Deram provimento ao recurso. V. U., de conformidade com o voto do relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos MM. Juízes APARECIDO CÉSAR MACHADO (Presidente) E RODRIGO VIEIRA MURAT.

Colégio Recursal - Itapetininga/SP, 27 de agosto de 2021.

VILMA TOMAZ LOURENÇO FERREIRA ZANINI

Relator

Assinatura Eletrônica

1

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Colégio Recursal - Itapetininga

Itapetininga-SP

Processo nº: 0100107-93.2021.8.26.9030

Processo nº: 0100107-93.2021.8.26.9030 - Fórum de Itapetininga

Classe: Agravo de Instrumento

Foro da Comarca de: Itapetininga

Agravante: Jose Maria Soares

Agravado: São Paulo Previdência - SPPREV

Voto nº 724/2021

Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. Cumprimento de sentença – Liquidação superior ao teto – Possibilidade – Precedente do STJ – Valor de alçada que compreende a soma das parcelas vencidas e 12 prestações vincendas no momento da propositura da ação. Limite não alcançado com o ajuizamento da ação principal. Valor da execução, ademais, que pode ser superado por ocasião do cumprimento de sentença, eis que o JEFAZ tem competência para executar seus próprios julgados. Decisão anulada. Agravo de Instrumento provido.

Vistos.

Insurge-se o agravante contra a r. decisão interlocutória proferida no processo 0005357-32.2020.8.26.0269, que acolheu a impugnação apresentada pela executada e determinou o regular prosseguimento da execução, limitando-a a 60 salários mínimos.

Em suas razões alega, em síntese, que houve a preclusão do direito da agravante de alegar eventual ultrapassagem do limite de alçada dos Juizados Especiais Cíveis da Fazenda Pública, mesmo porque já ocorreu o trânsito em julgado da sentença da fase de conhecimento. Neste sentido, informa que o valor de 60 salários mínimos previstos em Lei servem para fixar a competência dos JEFAZ e que a sentença prolatada nos autos não faz qualquer limitação para sua liquidação. Aduz que o artigo 13, inciso II da Lei nº 12.153/09 autoriza, inclusive, a possibilidade de expedição de precatório dos valor que ultrapassem o valor definido como obrigação de pequeno valor. Cita jurisprudência sobre o assunto. Requer o provimento do agravo. Pugnou, ainda, pela concessão de efeito suspensivo.

2

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Colégio Recursal - Itapetininga

Itapetininga-SP

Processo nº: 0100107-93.2021.8.26.9030

Foi concedido o efeito suspensivo pleiteado (fls. 58).

Contraminuta às fls. 64/70.

Relatado, Passo a proferir o voto.

O caso é de provimento ao recurso.

Em que pese o respeitável entendimento externado pelo magistrado de origem, entendo que a decisão deve ser anulada.

Isto porque, dispõe o artigo da Lei nº 12.153/2009 que:

Art. 2º - É de competência dos Juizados Especiais da Fazenda Pública processar, conciliar e julgar causas cíveis de interesse dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios, até o valor de 60 (sessenta) salários mínimos. Nesta seara, o § 2º deste artigo complementa que: “Quando a pretensão versar sobre obrigações vincendas, para fins de competência do Juizado Especial, a soma de 12 (doze) parcelas vincendas e de eventuais parcelas vencidas não poderá exceder o valor referido no caput deste artigo”.

Dispõe, ainda, o § 4º do mesmo artigo que no foro onde estiver instalado o Juizado Especial da Fazenda Pública sua competência é absoluta para conhecer da matéria.

De outro lado, o artigo 27 da Lei nº 12.153/2009 autoriza a aplicação subsidiária da Lei nº 9.099/95 aos processos que tramitam no JEFAZ. E, neste sentido, o artigo , § 1º, inciso I da Lei dos Juizados Especiais Cíveis assevera que:

Art. 3º - O Juizado Especial Cível tem competência para conciliação, processo e julgamento das causas cíveis de menor complexidade, assim consideradas:

(...)

§ 1º - Compete ao Juizado Especial promover a execução:

I dos seus julgados . (grifei)

Em resumo, os dispositivos legais acima transcritos deixam

3

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Colégio Recursal - Itapetininga

Itapetininga-SP

Processo nº: 0100107-93.2021.8.26.9030

claro que o Juizados Especiais da Fazenda Pública são competentes para julgar as ações que envolvam os entes publicos (Estados, Distrito Federal Territórios e Município) cujo o valor da causa não superem os 60 salários mínimos (incluídas neste valor 12 prestações vincendas), sendo permitido, entretanto, a execução de seus próprios julgados, ainda que ultrapassem o teto de alçada.

Em abono ao presente entendimento, confira-se o seguinte julgado do Superior Tribunal de Justiça:

PROCESSUAL CIVIL. PREVIDENCIÁRIO. DESAPOSENTAÇÃO. CONTEÚDO ECONÔMICO DA DEMANDA. ART. , § 2º, DA LEI 10.259/2001. SOMA DAS 12 PRESTAÇÕES VINCENDAS QUE NÃO SUPERA O VALOR DE ALÇADA DOS JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS. COMPETÊNCIA DO JUÍZO ESPECIAL FEDERAL. 1. O art. , caput, da Lei 10.259/2001 define a competência dos juizados especiais federais para toda demanda cujo valor da ação não ultrapasse 60 (sessenta) salários mínimos. De acordo com § 2º do dispositivo mencionado, quando a demanda tratar de prestações vincendas, a importância de doze prestações não poderá superar o limite fixado no caput. 2. O valor da alçada é de sessenta salários mínimos calculados na data da propositura da ação. Se, quando da execução, o título ostentar montante superior, em decorrência de encargos posteriores ao ajuizamento (correção monetária, juros e ônus da sucumbência), tal circunstância não alterará a competência para a execução nem implicará a renúncia aos acessórios e consectários da obrigação reconhecida pelo título. Precedentes do STJ. 3. Agravo Regimental não provido. (Agravo Regimental no Agravo em Recurso Especial nº 352.561/RJ, 2ª Turma do STJ, Rel Min. Herman Benjamin, publicado no D.Je. 26/09/2013).

E esta é a situação que se verifica no presente caso.

Segundo se observa do cálculo juntado no cumprimento de sentença, a valor nominal de cada prestação vencida é de R$ 994,00 e R$ 1.064,80 (nos meses de fevereiro e março/2018), conforme se observa às fls. 65/66. Assim, os valores atrasados desde julho de 2015 até março de 2018 perfazia o total de R$ 41.889,60. De outro lado, o valor nominal das 12 parcelas vincendas, naquela ocasião, compreendia a quantia de R$ 12.777,60.

4

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Colégio Recursal - Itapetininga

Itapetininga-SP

Processo nº: 0100107-93.2021.8.26.9030

Verifica-se, então, que o valor da causa por ocasião da

propositura da ação (março/2018) correspondia ao total de R$ 54.667,20.

O salário mínimo, por sua vez, equivalia, naquele ano, à quantia de R$ 954,00. Logo, o teto para a propositura de ações perante o JEFAZ no ano de 2018 equivalia à R$ 57.240,00.

Como se vê, não se extrapolou o valor de alçada previsto em Lei por ocasião da propositura da ação nº 1001500-29.2018.8.26.0269 e, por outro lado, conforme já mencionado acima, o Juízo de origem tem competência para executar seus próprios julgados, razão pela qual não há que se falar em prosseguimento da execução limitada a 60 salários mínimos.

Nestes termos, entendo que seja o caso de se anular a decisão agravada, determinando o regular prosseguimento do feito, devendo o magistrado de origem analisar as demais alegações formuladas pela executada na impugnação à execução apresentada às fls. 74/80 dos autos de cumprimento de sentença nº 0005357-32.2020.8.26.0269.

Diante do exposto, pelo meu voto, DOU PROVIMENTO ao presente recurso, anulando a decisão de fls. 99/101 do cumprimento de sentença nº 0005357-32.2020.8.26.0269, devendo o Juízo de origem apreciar as demais alegações formuladas na impugnação ao cumprimento de sentença apresentada pela executada às fls. 74/80 daqueles autos.

VILMA TOMAZ LOURENÇO FERREIRA ZANINI

Relatora

5

Disponível em: https://tj-sp.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/1271084921/agravo-de-instrumento-ai-1001079320218269030-sp-0100107-9320218269030/inteiro-teor-1271084941

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça do Paraná
Jurisprudênciaano passado

Tribunal de Justiça do Paraná TJ-PR - Recurso Inominado: RI 0017690-35.2017.8.16.0031 Guarapuava 0017690-35.2017.8.16.0031 (Decisão monocrática)

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 5 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Recurso Inominado Cível: RI 0001023-10.2011.8.26.0094 SP 0001023-10.2011.8.26.0094

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 8 meses

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Agravo de Instrumento: AI 0100149-45.2021.8.26.9030 SP 0100149-45.2021.8.26.9030