jusbrasil.com.br
18 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de São Paulo
há 8 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

9ª Câmara de Direito Público

Publicação

Julgamento

Relator

Moreira de Carvalho

Documentos anexos

Inteiro TeorTJ-SP_APL_01249351220078260053_a22ae.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

9ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO

Registro: 2014.0000674961

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXX-12.2007.8.26.0053, da Comarca de São Paulo, em que são apelantes THEREZA MARTIMBANCO FRANCHI, HIRGES TAVARES DO PRADO, MAGDALENA DESTRO PERDÃO, FREDI ANTONIO MEZGOLIS BARRIOS, MARIA LUCIA CARDOSO DE PAIVA HADDAD, JULINDA RIBEIRO TAVARES, VERA LUCIA DA SILVA, MARIA DE FÁTIMA HADDAD PERDÃO, EUZELIA BARBIERI FONSATO, MARIA APARECIDA SOUZA LIMONGE, MARIA SIVITERESA LUPIANHES, VILMA AMÁLIA DE OLIVEIRA BACETTI LIMONGE, VERA LUCIA BERTOCCO DE SOUZA, ISOLINA GAVIOLI MANZONI, ROSOEL DONIZETE DA CUNHA, JOSE ANTONIO GARÇON, MAURICIO BERTOCCO, THEREZA BELLO NUNES LEITE, ELIO FERREIRA DA SILVA, DAGMAR VENÂNCIO DA COSTA e MARIA BENEDITA DOS SANTOS, é apelado FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO.

ACORDAM, em 9ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: "Deram provimento ao recurso. V. U.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores MOREIRA DE CARVALHO (Presidente), CARLOS EDUARDO PACHI E REBOUÇAS DE CARVALHO.

São Paulo, 22 de outubro de 2014.

Moreira de Carvalho

RELATOR

Assinatura Eletrônica

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

9ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO

2

Comarca: São Paulo

Juiz de 1ª Inst.: Alexandra Fuchs de Araújo

Apelante: THEREZA MARTIMBANCO FRANCHI E OUTROS

Apelada: FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO

“EMBARGOS À EXECUÇÃO Ausência de impugnação Aplicação dos efeitos da revelia

Impossibilidade O silêncio do credor não é suficiente para elidir a presunção de veracidade do título executivo judicial Sentença anulada Recurso provido.”

VOTO 17873

EMBARGOS À EXECUÇÃO opostos pela FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO em face de THEREZA MARTIMBIACO FRANCHI E OUTROS , sob o fundamento de execução na execução de título judicial, tendo ocorrido a quitação integral do débito.

A r. sentença de fls. 104/105, julgou procedente os embargos e extinguiu a execução (processo nº 053.90.604.602-9), com base no art. 794, inciso I, do Código de Processo Civil.

Apelam os embargados (fls. 111/113). Sustentam a impossibilidade do julgamento antecipado, em ofensa ao princípio do contraditório, sendo necessária confrontação dos cálculos apresentados pelo ente público por um Contador Judicial.

Houve apresentação de contrarrazões ao recurso

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

9ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO

3

(fls. 136/139).

Vieram os autos para julgamento.

RELATEI.

Os presentes embargos à execução opostos pelo ente público são oriundos de execução de sentença proferida em ação ajuizada pelos embargados, ora apelantes, servidores públicos ativos e inativos, com objeto o pagamento de diferenças salariais decorrentes do “gatilho salarial” (fls. 5/98).

Após intimação dos embargados, decorreu o prazo legal para apresentação de impugnação aos embargos (fl. 102), tendo o Magistrado “a quo” reconhecido a ocorrência dos efeitos da revelia e, assim, julgado procedente os embargos, para extinguir a execução, pela quitação da dívida.

No entanto, em sede de execução, a falta de impugnação pelos credores aos embargos opostos pelo devedor, não implica necessariamente a presunção de veracidade dos fatos alegados na petição inicial.

Isso porque, a execução fundada em título judicial goza de presunção de certeza e, assim, é incumbência do devedor embargante demonstrar o necessário para afastar a presunção decorrente da revelia.

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

9ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO

4

Esse é o entendimento do Superior Tribunal de

Justiça:

"A não impugnação dos embargos do devedor não induz os efeitos da revelia, pois que, no processo de execução, diferentemente do processo de conhecimento em que se busca a certeza do direito vindicado, o direito do credor encontra-se consubstanciado no próprio título, que se reveste da presunção de veracidade, até porque já anteriormente comprovado, cabendo, assim, ao embargante-executado o ônus quanto à desconstituição da eficácia do título executivo. (STJ-6ª REsp 601.957, Min. Hamilton Carvalhido, j. 23.8.05, DJU 14.11.05)."

E, este E. Tribunal também já se manifestou no

sentido que:

EMBARGOS À EXECUÇÃO. Ausência de impugnação. Aplicação dos efeitos da revelia. Impossibilidade. O silêncio do credor não é suficiente para elidir a presunção de veracidade do seu direito apoiado em título executivo. Precedentes. Necessário decretar, de ofício, a nulidade da r. sentença e determinar o retorno dos autos à primeira instância para seu regular processamento - Recurso prejudicado. (TJSP, 6ª Câmara de Direito Público, Rel. Des. Leme de Campos, Apelação nº XXXXX-31.2013.8.26.0053, j. 15/09/2014).

EMBARGOS À EXECUÇÃO - Ausência de impugnação aos cálculos apresentados Revelia Inocorrência - Não aplicação do art. 319, do CPC - Apenas o silêncio do credor não é suficiente para elidir a presunção de veracidade do seu direito apoiado em título executivo -Precedentes do STJ e deste Tribunal - Matéria de ordem pública - Necessário decretar a nulidade da r. sentença e determinar o retorno dos autos à primeira instância para seu regular processamento - Recurso provido. (TJSP, 11ª Câmara de Direito Público, Rel. Des. Luis Ganzerla,

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

9ª CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO

5

Apelação nº XXXXX-85.2011.8.26.0157, j. 24/06/2014).

Diante disso, por afastar os efeitos da revelia, entendo que deve ser anulada a r. sentença, remetendo-se os autos à Primeira Instância, com o prosseguimento dos embargos.

Ocorrendo isto, DOU PROVIMENTO AO RECURSO , nos termos supra mencionados.

Jeferson MOREIRA DE CARVALHO

Relator

(assinatura eletrônica)

cp

Disponível em: https://tj-sp.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/147632913/apelacao-apl-1249351220078260053-sp-0124935-1220078260053/inteiro-teor-147632922

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 17 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX RJ 2003/XXXXX-9

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 8 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação: APL XXXXX-31.2013.8.26.0053 SP XXXXX-31.2013.8.26.0053

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 8 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação Cível: AC XXXXX-85.2011.8.26.0157 SP XXXXX-85.2011.8.26.0157