jusbrasil.com.br
24 de Janeiro de 2022
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de São Paulo
há 6 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
16ª Câmara de Direito Criminal
Publicação
15/06/2016
Julgamento
14 de Junho de 2016
Relator
Borges Pereira
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-SP_HC_20884208820168260000_ab34d.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Registro: 2016.0000409123

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Habeas Corpus nº 2088420-88.2016.8.26.0000, da Comarca de Guarulhos, em que é impetrante DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO e Paciente WESLEY SOUZA VIEIRA.

ACORDAM , em 16ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: "Julgaram prejudicado o Habeas Corpus. V.U.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores GUILHERME DE SOUZA NUCCI (Presidente) e NEWTON NEVES.

São Paulo, 14 de junho de 2016.

Borges Pereira

RELATOR

Assinatura Eletrônica

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

16ª CÂMARA CRIMINAL

HABEAS CORPUS Nº 2088420-88.2016.8.26.0000

COMARCA: GUARULHOS

IMPETRANTE: FELIPE AUGUSTO PERES PENTEADO

PACIENTE: WESLEY SOUZA VIEIRA

VOTO nº. 29.134

Habeas Corpus Paciente preso em flagrante acusado da prática do delito previsto no artigo 180, “caput”, do Código Penal - Pleito visando o deferimento de liberdade provisória em favor do paciente - Informações prestadas pelo D. Magistrado de 1º Grau esclarecendo que foi concedida liberdade provisória em favor do paciente em razão do pagamento da fiança - Perda do objeto -Impetração prejudicada.

O Defensor Público Dr. FELIPE AUGUSTO

PERES PENTEADO impetra o presente “ habeas corpus ”, com pedido de liminar, em benefício de WESLEY SOUZA VIEIRA, apontando como autoridade coatora o MM. Juiz de Direito da 6ª Vara Criminal da Comarca de Guarulhos.

Argumenta o D. impetrante, em síntese, que o

paciente foi preso em flagrante delito no dia 27 de abril de 2016, acusado de infringir o disposto no artigo 180, “caput”, do Código Penal, tendo o juiz concedido liberdade provisória mediante pagamento de fiança arbitrada em R$3.000,00, contudo, não se encontram presentes os requisitos autorizadores da prisão preventiva, previstos no artigo 312 do Código de Processo Penal. Esclarece que a autoridade coatora manteve a fiança arbitrada pela

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

autoridade policial no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais) que, ao que consta, não foi paga pelo indiciado, mostrando-se, assim, por demais gravosa às suas condições, razão pela qual entende deva ser deferida a presente medida com a liberdade independente de fiança, por não haver necessidade e não ser adequada a manutenção do indiciado no cárcere. Ressalta ser o paciente primário e portador de bons antecedentes. Culmina por pleitear o deferimento da liminar e, no mérito, a concessão da ordem, para que seja concedida liberdade provisória ao paciente, independentemente do pagamento de fiança.

A liminar foi parcialmente deferida às fls.

25/27, a D. autoridade coatora prestou informações às fls. 25/26 e a douta Procuradoria Geral de Justiça às fl. 88, opinou no sentido de que seja julgado prejudicado o presente writ, pela perda de seu objeto.

RELATADOS.

O paciente foi preso em flagrante delito no dia

27 de abril de 2016, acusado de infringir o disposto no artigo 180, “caput”, do Código Penal.

Por r. decisão proferida em 29 de abril de

2016, o MM. Juiz de Direito da 6ª Vara Criminal da Comarca de Guarulhos manteve o valor da fiança arbitrada pela autoridade policial no importe de R$3.000,00.

Pretende o D. impetrante, via o presente

remédio heroico, a concessão da ordem, a fim de que o paciente seja dispensado do pagamento da fiança.

Ocorre que, consoante informações prestadas

pelo D. Magistrado de 1º Grau, o ora paciente foi citado em 03 de maio,

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

constituiu defensor e pagou a fiança sendo expedido o alvará de soltura em seu favor na mesma data.

A essa conta, perdeu seu objeto a impetração,

pois desaparecera a “causa petendi” (alegado constrangimento ilegal).

Conforme lição de Fernando da Costa

Tourinho Filho a propósito do art. 659 do Código de Processo Penal:

“Tendo cessado o motivo que deu causa à

impetração do pedido de habeas corpus, obviamente ela perde o seu objeto, cai no vazio, não havendo razão para que seja apreciado. Ou, como diz o artigo em exame, o pedido fica prejudicado, ante a ausência de qualquer interesse na sua solução” (Código de Processo Penal Comentado, 1996, vol. II, p. 426).

Conforme jurisprudência colacionada a respeito:

“Julga-se o habeas corpus prejudicado

quando a impetrante obtém, durante a ação, a situação jurídica reclamada” (STJ; HC nº 1.623/2; 6a. Turma, rel. Min. Vicente Cernicchiaro; j. 18.12.96).

Ante o teor das informações acima aludidas,

de se concluir que o presente writ deve ser julgado prejudicado, haja vista a perda de seu objeto, a teor do artigo 659, do Código de Processo Penal, na medida em que uma vez tendo pagado a fiança encontrando-se em liberdade.

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Isto posto, JULGA-SE PREJUDICADA A

ORDEM de habeas corpus impetrada em favor de WESLEY SOUZA VIEIRA.

BORGES PEREIRA

Relator

Disponível em: https://tj-sp.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/351345662/habeas-corpus-hc-20884208820168260000-sp-2088420-8820168260000/inteiro-teor-351345683

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul
Jurisprudênciahá 10 anos

Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul TJ-MS - Habeas Corpus : HC 16232 MS 2012.016232-1