jusbrasil.com.br
26 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça de São Paulo
há 4 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
31ª Câmara de Direito Privado
Publicação
07/08/2018
Julgamento
7 de Agosto de 2018
Relator
Paulo Ayrosa
Documentos anexos
Inteiro TeorTJ-SP__01206361120088260003_13855.pdf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

31ª Câmara de Direito Privado

Registro: 2018.0000587959

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0120636-11.2008.8.26.0003, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ÉLCIO APARECIDO PIRES INDÚSTRIA E COMÉRCIO ME, é apelado PIACE PARTICIPAÇÕES LTDA..

ACORDAM, em 31ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: "Negaram provimento ao recurso. V. U.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Exmo. Desembargadores PAULO AYROSA (Presidente), ANTONIO RIGOLIN E ADILSON DE ARAUJO.

São Paulo, 7 de agosto de 2018.

PAULO AYROSA

RELATOR

ASSINATURA ELETRÔNICA

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

31ª Câmara de Direito Privado

Apelação nº 0120636-11.2008.8.26.0003

Apelante : ÉLCIO APARECIDO PIRES INDÚSTRIA E COMÉRCIO ME

Apelada : PIACE PARTICIPAÇÕES LTDA.

Comarca : São Paulo 5ª Vara Cível do Foro Reg. de Jabaquara

V O T O N.º 38.546

ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA - PESSOA

JURÍDICA INATIVA - EVIDENCIADA A SUA CARÊNCIA

DE RECURSOS - BENEFÍCIO CONCEDIDO. Evidenciada

a situação de carência de recursos financeiros da

autora/recorrente, impõe-se a concessão dos benefícios da

Assistência Judiciária Gratuita nesta fase recursal.

AÇÃO DECLARATÓRIA - NULIDADE CONTRATUAL

LOCAÇÃO VÍCIO DE CONSENTIMENTO AUSÊNCIA

DE PROVA IMPROCEDÊNCIA DA AÇÃO RECURSO

NÃO PROVIDO, COM OBSERVAÇÃO.

I- Inexistindo prova de que ao contratar a locação do imóvel

a locatária tenha incidido em erro capaz de macular a sua

vontade, de rigor o reconhecimento da improcedência da

ação;

II- Ante o disposto no art. 85, §§ 2º e 11, do CPC, elevam-se

os honorários advocatícios sucumbenciais para 15%.

ÉLCIO APARECIDO PIRES INDÚSTRIA E COMÉRCIO ME propôs ação de rescisão de contrato de locação contra PIACE PARTICIPAÇÕES LTDA. , julgada improcedente pela r. sentença de fls. 283/288, em nada alterada pelos embargos de declaração, posto rejeitados à fls. 305/306, cujo relatório se adota, condenando a empresa autora ao pagamento dos ônus de sucumbência.

Inconformada apela a autora pleiteando, inicialmente, a

concessão dos benefícios da assistência judiciária gratuita e, quanto ao

mérito, a reforma da r, sentença para julgar procedente a ação,

considerando-se, em suma, que o imóvel locado não se prestava aos fins a

que se destinava, tendo em vista a sua irregularidade perante a

administração municipal, porquanto destituído de "habite-se", sendo

inaplicável a cláusula 14ª do contrato (fls. 309/314)

O recurso foi contrariado (fls. 331/340), batendo-se a apelada

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

31ª Câmara de Direito Privado

pelo não provimento do apelo.

É O RELATÓRIO .

Inicialmente concedo os benefícios da Assistência Judiciária Gratuita pleiteada pela apelante, ante os documentos ofertados à fls. 315/326, pelos quais resta evidente a sua desativação e a existência de passivos trabalhistas e outras obrigações, inclusive derivadas do contrato de locação em referência, arquivado o processo por inexistência de bens penhoráveis. Presentes, assim, os requisitos do art. 98 e 99 do CPC.

Quanto ao mérito, de rigor o não provimento do apelo.

Prende-se esta ação à pretensão da autora em obter a declaração de nulidade do contrato de locação, por vício de consentimento decorrente do fato de lhe ter sido ocultada a irregularidade do imóvel locado junto à municipalidade, sob a alegação de inexistência de habite-se tendo em vista que a área edificada superava aquela autorizada pela Prefeitura Municipal, o que tornava inviável a sua instalação naquele edifício porquanto jamais obteria a necessária licença.

Ora, pelas provas dos autos não se constata qualquer vício de consentimento por parte do representante legal da autora a ensejar o reconhecimento da nulidade do contrato. Ao contratar a locação do edifício em foco, seu representante legal teve acesso à documentação do imóvel e, pela mencionada cláusula 14ª, a si competia o exame da documentação do mesmo junto aos órgãos públicos, em especial à Prefeitura Municipal. Também lhe competia o exame da documentação do imóvel pretendido à locação, não só quanto ao atendimento às suas necessidades, mas também em relação à sua regularidade cadastral

Diversamente do alegado pela autora, o imóvel contava com habite-se. A irregularidade não se referia à sua falta, como alega, mas sim no fato da área construída ser superior àquela constante do habite-se.

Há que se considerar, ademais, que esta ação somente foi proposta após estar inadimplente com suas obrigações locatícias, não pagas

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

31ª Câmara de Direito Privado

a partir de abril de 2008, o que ensejou a propositura, pela locadora, de ação de despejo, dada por prejudicada pelo abandono do imóvel.

Resulta disto que não comprovou a autora que foi induzida em erro ou teve a sua vontade viciada ao contratar a locação do imóvel em referência ante a ausência de habite-se.

Assim, se contratou a locação o fez ciente das circunstâncias referentes à irregularidade na área construída, não podendo alegar ignorância ou vício de consentimento tendentes à anulação do ato jurídico, in casu, perfeito, não podendo se cogitar em restituição dos valores pagos, nem a indenização almejada.

Por fim, considerando-se o disposto no art. 85, §§ 2º e 11, do CPC, aumento a verba honorária advocatícia sucumbencial para 15% sobre o valor atualizado da causa.

Posto isto, nego provimento ao apelo, com observação.

PAULO CELSO AYROSA M. DE ANDRADE

Relator

Disponível em: https://tj-sp.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/611662223/1206361120088260003-sp-0120636-1120088260003/inteiro-teor-611662241

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 3 anos

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Agravo de Instrumento: AI 2014362-12.2019.8.26.0000 SP 2014362-12.2019.8.26.0000

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciaano passado

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação Cível: AC 0003235-13.2011.8.26.0576 SP 0003235-13.2011.8.26.0576

Tribunal de Justiça de São Paulo
Jurisprudênciahá 3 meses

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação Cível: AC 1028083-31.2018.8.26.0114 SP 1028083-31.2018.8.26.0114