jusbrasil.com.br
17 de Agosto de 2019
2º Grau

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação : APL 15002533620148260320 SP 1500253-36.2014.8.26.0320 - Inteiro Teor

Tribunal de Justiça de São Paulo
há 10 meses
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

TJ-SP_APL_15002533620148260320_f40ab.pdf
DOWNLOAD

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

São Paulo

Registro: 2018.0000818496

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1500253-36.2014.8.26.0320, da Comarca de Limeira, em que é apelante ESTADO DE SÃO PAULO, é apelada KARISMA COMÉRCIO DE MATERIAIS DE ESCRITÓRIO E INFORMÁTICA LTDA..

ACORDAM , em 13ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: "Deram provimento ao recurso, V.U.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FLORA MARIA NESI TOSSI SILVA (Presidente), FERRAZ DE ARRUDA E RICARDO ANAFE.

São Paulo, 17 de outubro de 2018

FLORA MARIA NESI TOSSI SILVA

RELATOR

Assinatura Eletrônica

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

São Paulo

VOTO Nº 14.027 (processo digital)

APELAÇÃO Nº 1500253-36.2014.8.26.0320

Nº ORIGEM: 1500253-36.2014.8.26.0320

COMARCA: LIMEIRA ( Vara da Fazenda Pública)

APTE: FAZENDA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO

APDO: KARISMA COMÉRCIO DE MATERIAIS DE ESCRITÓRIO E INFORMÁTICA LTDA.

MM. JUIZ DE 1º GRAU: Ricardo Truite Alves

APELAÇÃO. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE ACOLHIDA PELO Juízo de 1º. Grau, que julgou extinta a execução. Creditamento de ICMS reputado indevido. Aquisição de mercadorias de empresa declarada inidônea pelo fisco. Executada que alega ter efetuado as transações comerciais com boa-fé e sustenta que a declaração de inidoneidade tem efeitos ex nunc. Matéria discutida nos autos que não é exclusiva de direito e demanda produção de provas, a fim de ser ilidida a presunção de legitimidade do ato administrativo. Os documentos que instruíram os autos não são suficientes para infirmar o título executivo. Cognição a ser instaurada em sede de embargos à execução fiscal, após estar seguro o juízo. Necessidade de dilação probatória, oportunamente. Aplicação da Súmula 393 do STJ.

R. sentença que acolheu a exceção de pré-executividade que deve ser reformada. Inversão do ônus de sucumbência.

RECURSO DE APELAÇÃO DA FESP PROVIDO

Vistos.

Trata-se de execução fiscal ajuizada pela Fazenda do Estado de

São Paulo em face de Karisma Comércio de Materiais de Escritório e

Informática LTDA ., com base na Certidão de Dívida Ativa nº

1.139.412.002, decorrente de multa por não pagamento de ICMS, tendo

como valor o imposto R$ 88.622,46 e como valor da multa R$ 259.513,00,

totalizando o valor de R$ 348.135,46 de dívida total.

A Fazenda Pública do Estado de São Paulo requereu a

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

São Paulo

desconsideração da personalidade jurídica da empresa, com a inclusão dos sócios administradores, diante da suposta paralização de suas atividades às fls. 43/44. A inclusão do sócio administrador, Rogério Eduardo da Silva, no pólo passivo da ação foi deferida á fl. 45.

Rogério Eduardo da Silva interpôs recurso de Agravo de instrumento nº 2248076-81.2016.8.26.0000, cópia às fls. 134/144, contra a r. decisão de fl. 45 que desconsiderou a personalidade jurídica da empresa executada. Esta Colenda 13ª Câmara de Direito Público, em v. acórdão julgado em 10 de maio de 2017, negou provimento ao recurso interposto (fls. 286/296).

Foi oposta exceção de pré-executividade por Karisma Comércio de Materiais de Escritório e Informática Ltda e Rogério Eduardo da Silva às fls. 84/97, em que argumentam em síntese, que é inexistente a relação jurídica tributária entre a Fazenda do Estado e os executados, com base nas Súmula 509 do STJ, requerendo, portanto, a decretação de nulidade e a consequente extinção da execução fiscal, bem como da respectiva CDA e do Auto de Infração.

A r. sentença (fls. 158/163) acolheu a exceção de pré executividade, nos seguintes termos:

“Ante o exposto, ACOLHO a presente exceção de péexecutividade oposta por KARISMA COMÉRCIO DE MATERIAIS DE ESCRITÓRIO E INFORMÁTICA LTDA e ROGÉRIO EDUARDO DA SILVA contra a FAZENDA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO e JULGO EXTINTA a ação de execução fiscal. E diante de uma apreciação equitativa, nos termos do art. 85, § 8º, do Código de Processo Civil, fixo os honorários advocatícios em R$2.500,00 (dois

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

São Paulo

mil e quinhentos reais), face o valor da causa e a ausência de complexidade. P.R.I.C.”

Karisma Comércio de Materiais de Escritório e Informática Ltda e Rogério Eduardo da Silva opuseram Embargos de Declaração ás fls. 167/172, estes rejeitados às fls. 179/180.

Apela a FESP (fls. 173/223) alegando em síntese: a) não cabimento da exceção de pré executividade no caso em pauta por se tratar de débito oriundo de auto de infração, sendo necessária a produção de provas; b) a pretensão da executada contraria dispositivo de lei deferal por desatender o comando emanado dos artigos 3º e 16 da Lei nº 6.830/80, bem como afronta Súmula 393 do STJ; c) No caso em tela, as matérias suscitadas implicam em discussão do mérito, dependem de exame fático e de provas, não admitidas em sede de exceção de preexecutividade, sendo típicas de embargos à execução; d) No mérito, há que se ter em mente que os documentos tidos como inidôneos, supostamente emitidos pela empresa AIEV COMERCIO DE PÁPEIS LTDA. não atenderam à forma prescrita em lei e, juridicamente, devem ser tratados dentro do campo dos atos ilícitos, portanto, seus efeitos estão dentro do campo da nulidade; e) A apelada recebeu nos meses de dezembro de 2011, abril e maio de 2012, mercadorias no valor total de R$ 384.781,85 desacompanhadas de documentação fiscal hábil, que não atendem as condições previstas no item 3, § 1º, do artigo 59, do RICMS/00 e deixou de pagar o ICMS no valor de R$ 23.611,85, , nos meses de dezembro de 2011, abril e maio de 2012, devido por responsabilidade supletiva, assim definida no artigo 66-C, da Lei 6.374/89, por ter adquirido mercadorias sob o regime da sujeição passiva por substituição tributária - ST

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

São Paulo

desacompanhadas de documentação fiscal hábil, que não atendem as condições previstas no item 3, § 1º, do artigo 59, do RICMS/00; f) a apelada não conseguiu provar a efetividade das operações objeto das notas fiscais, o que, de qualquer forma seria irrelevante, simplesmente porque, decorrem de manifesta inidoneidade das notas fiscais; g) não tendo ocorrido o pagamento antecipado do imposto, conforme estabelece o artigo 150 do CTN, referente as notas fiscais autuadas, a apelada assumiu o risco em face da sua omissão, o que leva à solidariedade na responsabilidade pelo pagamento do imposto destacado nos documentos inábeis, nos termos do artigo 11, inciso XI, parágrafo único do RICMS/00 c/c artigo 124 do Código tributário Nacional e Art. 267, inc. II, alínea a, do RICMS (Dec. 45.490/00), com multa do Art. 85, inc. I, alínea l c/c §§ 1º, 9º e 10, da Lei 6.374/89; h) Não há que se falar de retroatividade da declaração de inidoneidade, vez que restou comprovado por meio das diligências que existiam irregularidades na situação cadastral da suposta emitente; i) No caso, os documentos referentes ao processo de inidoneidade indicam ter ocorrido a emissão de "notas fiscais" por estabelecimento inexistente, dessa forma, as notas fiscais em tela devem ser consideradas documentos inidôneos, não sendo considerado legítima a operação nelas amparada. Aqui, portanto, exsurge patente a hipótese de aplicação do artigo 149, IV do CTN, ante a caracterização da falsidade em dados constantes nos documentos fiscais; j) não há, no bojo do procedimento administrativo que rendeu ensejo à autuação, a prova cabal da realização das operações noticiadas, o que torna a autora responsável solidária pelo tributo devido, nos termos do art. 11, § 1º, XI, do RICMS/SP.

Então, requer a reforma da r. Sentença, com a consequente rejeição da exceção de pré-executividade ofertada, mantendo-se o crédito tributário por ela anulado, invertendo-se os efeitos da sucumbência.

Apelação nº 1500253-36.2014.8.26.0320 - Limeira - VOTO Nº 5/12

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

São Paulo

Recurso tempestivo, isento de preparo, e processado com contrarrazões (fls. 301/315).

É o relatório.

Em primeiro lugar, ratifico a prevenção desta Relatora e Colenda Câmara para apreciação do presente, considerando o anterior julgamento do agravo de instrumento nº 2248076-81.2016.8.26.0000.

A r. sentença guerreada foi proferida e publicada na vigência do Código de Processo Civil de 2015, e é sob a ótica desse diploma processual que será analisada sua correção ou não.

O presente recurso de apelação merece ser provido, pelos motivos abaixo indicados.

A exceção de pré-executividade tem sido admitida no direito nacional por construção doutrinário/jurisprudencial, limitando-se àquelas hipóteses em que o Juízo, de ofício, pode conhecer da matéria, a exemplo do que se verifica em casos de reconhecimento da prescrição e decadência, título visivelmente nulo, parte manifestamente ilegítima ou relação processual contaminada de nulidade ostensiva, verificável de plano, matérias estas que obstam a própria execução pela inequívoca insubsistência do crédito tributário.

Neste sentido, a Súmula n.º 393, do Superior Tribunal de Justiça: “A exceção de pré-executividade é admissível na execução fiscal relativamente às matérias conhecíveis de ofício que não demandem dilação probatória ”.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO

São Paulo

E neste sentido, verbis::

“PROCESSO CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO FISCAL DE CRÉDITOS RURAIS. MP 2.196-3/2001. EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE. NECESSIDADE DE DILAÇÃO PROBATÓRIA FIRMADA PELA CORTE DE ORIGEM. REVISÃO. SÚMULA 7/STJ. VIOLAÇÃO DO ART. 535, II, DO CPC. NÃO OCORRÊNCIA.

1. Não se ressente dos vícios a que alude o art. 535 do CPC a decisão que contenha argumentos suficientes para justificar a conclusão a...