jusbrasil.com.br
14 de Dezembro de 2018
    Adicione tópicos

    Esther de Figueiredo Ferraz é homenageada em Congresso da Mulher Advogada em SP

    Tribunal de Justiça de São Paulo
    há 4 anos

    A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção São Paulo, homenageou Esther de Figueiredo Ferraz durante o II Congresso das Comissões da Mulher Advogada e de Direito de Família e Sucessões, realizado no sábado (7), no Teatro Gazeta, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. “O principal foco do encontro, além de prestar homenagem às valorosas mulheres que integraram a OAB, é também participar das comemorações do Dia Internacional da Mulher, discutindo temas relevantes e da área jurídica”, explicou a vice-presidente da OAB-SP, Ivete Senise Ferreira.

    Após a abertura, realizou-se a homenagem a Esther de Figueiredo Ferraz. Ivete Ferreira lembrou o centenário do nascimento da homenageada e o pioneirismo representado em sua pessoa e seu trabalho. A advogada Gilda Figueiredo Ferraz de Andrade, sobrinha de Esther, falou em nome da família, agradeceu a homenagem e rememorou momentos importantes da vida de Esther em que esteve presente. “É sempre um prazer representar minha tia e possuir seu sobrenome, além de ser uma grande responsabilidade, pois ela é uma lenda, exemplo de ética e do ‘bem feito’. Lamento que não esteja hoje presente entre nós, mas por outro lado fico aliviada, pois ela sofreria muito ao ver a situação em que se encontra o País”, afirmou Gilda.

    Esther de Figueiredo Ferraz foi a primeira mulher a exercer o cargo de ministra de Estado no Brasil. Lecionou em várias universidades e, por dois mandatos consecutivos, foi reitora da Universidade Mackenzie. Na Advocacia, participou de importantes julgamentos no Tribunal do Júri. Na vida pública, atuou em diversas pastas ligadas à educação – conselheira estadual e federal, diretora de ensino superior, secretária de Estado e ministra. Também foi integrante da Academia Paulista de Letras.

    A juíza Elaine Cristina Monteiro Cavalcante, integrante da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário do Estado de São Paulo (Comesp), participou do congresso e falou da atuação do Judiciário no painel “Lei Maria da Penha - Avanços e Perspectivas”. Na palestra, foram abordados aspectos históricos da problemática da discriminação e da violência contra a mulher; os principais diplomas internacionais de impacto e sua importância em relação aos direitos humanos das mulheres; o cenário mundial de violência em decorrência de diferenças culturais; a constitucionalidade da Lei Maria da Penha; as principais inovações instituídas pela Lei; avanços Legislativos e avanços do Judiciário, as varas especializadas em violência doméstica e familiar contra a mulher de São Paulo, com a exposição dos principais projetos da Comesp, dentre eles “Rede de Cidadania”, “Projeto Fênix”, “Carta de Mulheres”, “Bolsa de Oportunidades para Mulheres- BOM/TJ”, além dos Programas de Reeducação Familiar e do Projeto PLP 2.0 (aplicativo no celular que permite que a mulher possa emitir pedido de ajuda a pessoas previamente cadastradas) realizados com entidades parceiras.

    O evento contou ainda com exposições sobre a mulher na política, Direito de Família, Marco Civil da internet e Lei Maria da Penha. Prestigiaram a solenidade o juiz chefe do Gabinete Civil da Presidência do TJSP Ricardo Felicio Scaff, integrantes do Poder Legislativo, do Ministério Público e da Advocacia e demais operadores do Direito.

    Comunicação Social TJSP – DI (texto e fotos) / José Luís da Conceição/OAB-SP (fotos)

    imprensatj@tjsp.jus.br

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)