jusbrasil.com.br
26 de Abril de 2017
    Adicione tópicos

    Judiciário recebe fórum de Mogi das Cruzes

    Tribunal de Justiça de São Paulo
    há 7 dias

    Mogi das Cruzes terá fórum criminal.

    O governador Geraldo Alckmin entregou, ontem (19), ao Poder Judiciário de São Paulo, o novo fórum da Comarca de Mogi das Cruzes. O imóvel, construído em terreno de 8.172 m², foi doado pela prefeitura em 2012, mas a obra, iniciada em 2015, enfrentou problemas de paralisação, foi retomada e agora está pronta para o Judiciário preparar as redes lógicas e de telefonia, a colocação de móveis e a ocupação do prédio. Segundo o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, “haverá esforço concentrado para que a ocupação ocorra em até 90 dias”.

    O novo fórum, com custo de R$ 7 milhões, investidos pelo Governo do Estado, abrigará as varas criminais e está localizado no distrito de Brás Cubas (Avenida Valentina Mello Freire Borenstein, s/nº). Com 3.385,95 m² de área construída, dispõe de espaço para o Ministério Público, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil, áreas específicas para psicólogas e assistentes sociais, posto bancário e salão do júri. Os espaços atendem às normas de acessibilidade, incluindo sanitários para pessoas com necessidades especiais. Há, ainda, estacionamento com 95 vagas.

    Durante a cerimônia, fizeram uso da palavra o secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania, Márcio Fernando Elias Rosa; os deputados estaduais Luiz Carlos Gondim e Marcos Damasio; o prefeito Marcus Melo; o governador Alckmin e o presidente Paulo Dimas. Todos destacaram a união entre os poderes constituídos como a principal responsável pela finalização da obra. Segundo o prefeito de Mogi das Cruzes, “para que nós servidores públicos possamos devolver para a população um trabalho de qualidade”.

    À solenidade também estiveram presentes os deputados estaduais André do Prado e Estevam Galvão; o ex-prefeito Marco Bertaioli; o vice-prefeito Juliano Abe; o vereador Pedro Komura, representando o presidente da Câmara; o promotor de Justiça da Comarca de Mogi das Cruzes Leandro Lippi Guimarães, representando o procurador-geral de Justiça; o defensor público Horácio Xavier Franco Neto, representando o defensor público-geral; o juiz Fernando Figueiredo Bartoletti (assessor da Presidência e chefe do Gabinete Civil); os juízes da Comarca de Mogi das Cruzes Gustavo Alexandre da Câmara Leal Belluzzo (5ª Vara Cível e diretor do fórum), Ana Carmem de Souza Silva (6ª Cível), Bruno Machado Miano (Vara da Fazenda Pública), Fabricio Henrique Canelas (3ª Cível), Gioia Perini (Vara da Infância e Juventude) e Robson Barbosa Lima (7ª Cível); o presidente da 17ª Subseção da OAB Mogi das Cruzes, Marcelo Eduardo Inocêncio; o chefe da Assessoria Policial Militar do TJSP, coronel PM Sérgio Ricardo Moretti; a comandante do CPA/M-12, coronel PM Mônica Dias Ferreira; o comandante do 17º Grupamento de Bombeiros, tenente coronel PM Jean Carlos de Araújo Leite; o delegado seccional de Mogi das Cruzes, Marcos Batalha; o prefeito de Guararema, Adriano de Toledo Leite; o prefeito de Salesópolis, Vanderlon Oliveira Gomes; o assessor parlamentar Eustaquio Brasiliense, representando o deputado estadual Sebastião Santos; magistrados, integrantes do Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia, militares, civis, secretários municipais, vereadores e servidores da Justiça.

    Mais fotos no Flickr.

    Comunicação Social TJSP – RS (texto) / RL (fotos)

    [email protected]

    Tribunal de Justiça de São Paulo foi instalado no dia 3 de fevereiro de 1874, sendo denominado Tribunal da Relação de São Paulo e Paraná. Por se tratarem de províncias bastante inexpressivas, foram nomeados apenas sete desembargadores para integrar o Tribunal, que tinha a função de julgar todas . As primeiras instalações se deram em casarões situados no centro da capital paulista.
    Disponível em: http://tj-sp.jusbrasil.com.br/noticias/450398002/judiciario-recebe-forum-de-mogi-das-cruzes

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)