jusbrasil.com.br
10 de Dezembro de 2019
    Adicione tópicos

    Tribunal firma contrato com Banco do Brasil

    Tribunal de Justiça de São Paulo
    há 26 dias

    Acordo é referente a depósitos judiciais.

    Em cerimônia realizada ontem (13), o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, firmou contrato com o Banco do Brasil para a prestação de serviços de centralização e administração, em regime de exclusividade, de contas de depósitos judiciais dos créditos de precatórios e requisições de pequeno valor (RPV) já existentes e a serem efetuados.

    Ao falar sobre a contratação, o presidente Pereira Calças exaltou o trabalho dos juízes assessores da Presidência, afirmando que a atuação coletiva foi fundamental para a concretização do acordo, e comemorou a ocasião. “Esse é um dos momentos mais importantes da gestão. Conseguimos chegar a um acordo justo para todas as partes. O contrato dá ao Tribunal de Justiça de São Paulo e ao Banco do Brasil uma posição de igualdade dos contratantes dentro das regras do mercado. A função do contrato é equalizar a posição dos contratantes”, ressaltou. O vice-presidente da Corte paulista, desembargador Artur Marques da Silva Filho, e o corregedor-geral da Justiça, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco,afirmaram estar muito satisfeitos com o acordo, que irá trazer benefícios para as partes e, também, melhorar o atendimento ao público.

    Em seguida, o vice-presidente do Banco do Brasil, João Pinto Rabelo Júnior, declarou que esta foi uma das negociações mais difíceis de sua carreira e que se orgulha muito do trabalho produzido. “O contrato só foi possível por conta da vontade das instituições em sentar à mesa e buscar um acordo, e é isso que estamos comemorando hoje. Esse contrato é a concretização da vontade das partes. Gostaria de ressaltar o trabalho dos magistrados do Tribunal de Justiça, que se preocuparam com aqueles que utilizam a Justiça e fizeram questão de incluir cláusulas que irão agilizar o trabalho e dar segurança ao processo”, disse.

    O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), juiz Jayme Martins de Oliveira Neto, falou em nome dos juízes. “A negociação com o Banco do Brasil foi longa, e isso é um indicador de que foi bem feita, chegando a um termo que agradasse às duas partes. Todos os envolvidos nesta negociação estão de parabéns, especialmente o presidente Pereira Calças.”

    Os juízes assessores da Presidência Leandro Galluzzi dos Santos (Gabinete Civil) e Maria Rita Rebello Pinho Dias (Tecnologia, Gestão e Contratos) classificaram a experiência como “riquíssima” e disseram estar bastante satisfeitos com os resultados alcançados – satisfatórios tanto para o Banco do Brasil quanto para o Judiciário paulista.

    Também participaram da reunião os juízes assessores da Presidência Rodrigo Marzola Colombini (Gabinete Civil), Ana Rita de Figueiredo Nery (Tecnologia, Gestão e Contratos), Ana Claudia Dabus Guimarães e Souza de Miguel e Tatiana Magosso (Recursos Humanos), Airton Pinheiro de Castro e Ricardo Dal Pizzol (Assuntos Jurisdicionais), e Daniela Maria Cilento Morsello e Fabio Coimbra Junqueira (Designação de Magistrados); o diretor de Governo do Banco do Brasil, Enio Mathias Ferreira; o superintendente do BB Euler Antonio Luz Mathias; e o superintendente regional da instituição, Elias Almeida da Silva.

    Comunicação Social TJSP – AA (texto) / AC (fotos)

    [email protected]

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)